Estrada para o campus Capão é federalizada

Uma antiga demanda da comunidade dos municípios de Pelotas e do Capão do Leão, além de estudantes e servidores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e da Embrapa Clima Temperado, ganhou um grande fôlego: foi aprovada no dia 26 de dezembro pelo conselho do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) a federalização do trecho de acesso ao Campus Capão do Leão.

federalização estrada do capão css 2

A notícia foi recebida com muita alegria pela comissão que, desde 2011, vem pleiteando essa ação por parte do Governo Federal. Composta por representantes da UFPel, da Embrapa, da Prefeitura e Câmara de Vereadores do Capão do Leão e pelo Sindicato dos Servidores da UFPel (Asufpel), ela esteve reunida na manhã desta quarta-feira (8) para celebrar a conquista e apontar alguns detalhes das obras que estão previstas para o trecho.

Planos

O trecho de cerca de sete quilômetros entre o prolongamento da avenida Duque de Caxias, em Pelotas, e das avenidas Três de Maio e Eliseu Maciel, no Capão do Leão, sempre foi alvo de reclamações dos usuários. Segundo o vereador leonense Marco Aurélio Gomes, representante da Câmara do município na comissão, o orçamento local não daria conta da recuperação da estrada, nem mesmo se fossem ali alocados recursos de outras áreas fundamentais.

A federalização do trecho já vinha sendo apontada há anos como solução para esta demanda. Com a aprovação do processo pelo conselho do DNIT, ela foi oficializada e, a partir de agora, a revitalização do trecho passa para a alçada do Ministério dos Transportes.

No entanto, o projeto da obra já foi realizado. Em um primeiro momento, serão realizados tratamentos paliativos na pista, de forma a deixar a via em condições mínimas de tráfego. Para uma segunda fase, são esperados recuperação completa, recapeamento do asfalto e instalação de iluminação e sinalização. O planejamento inclui a construção de uma ciclovia, recuos para ônibus e um viaduto no entroncamento entre as avenidas Três de Maio e Eliseu Maciel. A ideia é conseguir uma vinculação da obra ao PAC Cidades.

Mobilização histórica

A conquista obtida nos últimos dias de 2013 é fruto de uma forte pressão do grupo de trabalho. “Estamos comemorando essa vitória, pois estaremos saneando em definitivo essa situação”, celebra o reitor da Universidade Federal de Pelotas, professor Mauro Del Pino.

O representante da Asufpel no grupo, Tonilar Afonso, lembra que a mobilização iniciou através do jornal do Sindicato, quando eram fotografadas as más condições das vias de acesso ao então Campus Universitário, hoje chamado Campus Capão do Leão.

A luta tomou corpo a partir de uma audiência pública promovida pela Câmara leonense, em parceria com a Secretaria de Obras do Município, no salão da comunidade católica localizada no Campus, no dia 15 de dezembro de 2010. Depois daquela reunião, foi formada a comissão com representantes das diversas esferas envolvidas na questão.

Com a descoberta de que por ser uma ligação entre uma rodovia federal e a área de não apenas uma, mas duas instituições federais – a universidade e a Estação de Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado , a via poderia ser federalizada, começou a pressão, inicialmente com o ministro dos Transportes, que encaminhou o grupo para o DNIT. Nas negociações na capital, o grupo contou com o apoio do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS).

Um dos pontos mais importantes dentro dessa caminhada foi a aprovação da doação do terreno que abriga o acesso por parte das Câmaras Municipais do Capão do Leão e de Pelotas para a União. Isto possibilitou legalmente a federalização do trecho.

Ações imediatas

Antes, porém, de iniciarem as obras definitivas, algumas intervenções serão realizadas de forma paliativa para sanar alguns problemas pontuais. A principal delas é a modificação do entroncamento entre as avenidas Três de Maio e Eliseu Maciel, local onde se formam grandes filas de espera por causa da tentativa de conversão de uma via para a outra. Ali, segundo o grupo, pretende-se instalar uma rótula.

Outra iniciativa a ser realizada pelo grupo é a visita à Universidade Federal de Santa Maria, que recentemente também conseguiu a federalização do seu acesso e já vive as obras de revitalização.

 

FONTE: CCS UFPEL