Jogos Segunda Chance: resgatando a infância e a solidariedade

O evento beneficente será realizado em favor das crianças e dos animais no Parque Dom Antônio Zattera

por Émellen Rosa

No dia 31 de outubro será realizada em Pelotas a primeira edição dos “Jogos Segunda Chance – resgatando a infância e a solidariedade”. O evento que tem o objetivo de beneficiar crianças e animais ocorrerá das 10h às 18h, no Parque Dom Antônio Zattera.

Durante o evento beneficente serão realizados jogos, brincadeiras, oficinas de desenho e pintura, oficinas de cupcakes, rodas de capoeira, dança do ventre, pintura de rosto, biblioteca e hora do conto, entre outras atividades educativas. Além disso, durante o evento será realizada uma feirinha de adoção e serão distribuídos brindes e materiais informativos sobre castração e posse responsável de animais. Com o evento serão arrecadados brinquedos para crianças de creches carentes, ração para os animais mantidos pelo projeto “Segunda Chance” e mechas de cabelo para campanha “Outubro Rosa”. Segundo Fernanda Ribeiro, organizadora do evento, além de beneficiar as crianças e os animais, o evento visa estimular a solidariedade.

Jogos Segunda Chance acontecem em Pelotas, no dia 31 (imagem: divulgação)

Jogos Segunda Chance acontecem em Pelotas, no dia 31 (imagem: divulgação)

Projeto “Segunda Chance”

Fernanda desenvolve há mais de 15 anos, na cidade de Pelotas, um projeto chamado “Segunda Chance”, onde resgata animais abandonados e encaminha para adoção.  Segundo Fernanda, os “Jogos Segunda Chance” serão também um meio de divulgar este trabalho e a ração arrecada pelo evento ajudará a alimentar os 37 animais atualmente mantidos pelo projeto (10 gatos e 27 cães). Em entrevista ao Em Pauta Fernanda falou mais sobre o “Segunda Chance”.

O que é o Segunda Chance?

É um projeto onde proporcionamos uma segunda chance aos animais resgatados. Eles são muitas vezes vítimas de maus tratos, foram atropelados, estão doentes, perdidos ou abandonados ainda filhotes sem ter condições de se alimentar. Então resgatamos, tratamos e depois de castrá-los encaminhamos para adoção.

Como o projeto é desenvolvido?

Os animais resgatados são tratados em clínicas e quando estão fora de risco trago para minha casa. Depois que recolho o animal da rua, ele só sai para adoção porque não acho justo dar conforto, lar, comida e depois soltar novamente. Então enquanto estão em tratamento ou aguardando adoção eles são mantidos por mim, alguns na minha residência e outros em casas de passagem pagas. Logo, as despesas são grandes.

Como o projeto se sustenta?

Contabilizando tudo – 289 kg de ração, medicamentos, hospedagens e tratamentos – o projeto tem um custo mensal de quase R$ 4 mil e as ajudas são esporádicas. Eu trabalho como personal trainer, mas estou sem trabalhar há 3 meses por um problema de saúde. Então para ajudar os “quatro patas” eu faço doces e salgados e agora também camisetas e ecobags do projeto. E com as vendas tenho comprado ao menos um pouco da ração.

Como a comunidade pode ajudar?

Toda a ajuda é bem vinda! Recebemos doações como ração, medicamentos, cobertores, jornais e caixas de papelão. Essa ajuda é importante para mantermos os regatados e continuar resgatando. E mesmo quem não tem a intenção de adotar pode ajudar através do apadrinhando de um animal, ou seja, se responsabilizar pelas despesas mensais de um dos animais.

Contato

Para saber mais sobre o “Segunda Chance” e os “Jogos Segunda Chance” acesse a página do projeto no facebook:  Segunda Chance.