Saiba mais: Outubro Rosa

por Lauren Trindade

Quanto mais tocarmos neste assunto, maiores as chances de prevenção.

O Outubro Rosa é o mês que marca um conjunto de iniciativas de âmbito mundial com o objetivo de intensificar a conscientização e prevenção do Câncer de Mama.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo mais frequente em todo o mundo, é o mais comum entre as mulheres, corresponde por 25% dos casos novos a cada ano. No Brasil, as taxas de mortalidade por essa doença continuam elevadas, muito provavelmente porque ainda é diagnosticada em estágios avançados.

É importante que as mulheres, independente da idade, conheçam seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. Ao identificarem alterações suspeitas, devem procurar imediatamente um serviço de saúde para avaliação profissional.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Em Pelotas, a abertura do “Outubro Rosa” iniciou com a iluminação do prédio do Paço Municipal de Pelotas, na cor rosa, com o objetivo de lembrar a população sobre a importância da prevenção do câncer de mama.

Durante todo mês de outubro, A Secretaria de Saúde (SMS) junto com a Associação de Apoio às Pessoas com Câncer (AAPECAN), realizam atividades em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) sobre prevenção e promoção da saúde da população feminina.

A enfermeira Adriane Calvette destaca que na próxima terça-feira, 20 de outubro, dando continuidade à programação, acontece uma palestra com o seguinte tema “Uma tarde rosa”. O evento acontece no auditório da Secretaria de Justiça Social, a partir das 14h.

Confira aqui as ações programadas pelas unidades de saúde em Pelotas.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Fatores de Riscos

- Idade;

- Obesidade;

- Bebidas alcoólicas;

- Exposição à radiação ionizantes;

- Terapia de reposição hormonal;

- História Familiar de Câncer de Mama – 20% dos casos são hereditários;

- Alteração genética;

- Primeira menstruação precoce;

- Menopausa tardia;

-Primeira gravidez após os 30 anos;

- Não ter tido filhos.

Atenção: A presença de um ou mais desses fatores não significa que a mulher terá necessariamente a doença.

Prevenção

Amamentação, prática de atividade física e alimentação saudável com a manutenção do peso corporal são ações de proteção e estão associados a um menor risco de desenvolver a doença.

Sinais de alerta

- Mudança no tamanho ou formato das mamas;

- Vermelhidão ou coceira na pele ou ao redor do mamilo;

- Vazamento de um ou de ambos os mamilos;

- Inchaço da axila ou ao redor da clavícula;

- Nódulo ou espaçamento que pareça diferente do restante do tecido da mama;

- Mudança na textura da pele, como enrugamento ou covas ( aparência da pele da laranja);

- Inversão ou mudança de posição ou formato do mamilo;

- Dor constante na mama ou nas axilas.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação