Da história aos dias atuais: como fazer um bom churrasco

Mais do que uma tradição: o prato tradicional em comemorações nos lares gaúchos está ligado à história do povo gaúcho.

 

por Diego Krüger

Ninguém duvida que o principal prato da culinária gaúcha é o churrasco. Presente em muitos lares do Rio Grande do Sul e até mesmo fora dele, seu espaço é garantido em comemorações. O que costuma ganhar pouco destaque quando se fala na carne assada no espeto é que sua história está ligada à trajetória do povo gaúcho.

Não existe referência exata sobre a origem do churrasco. Acredita-se que a partir do domínio do homem sobre fogo, na pré-história, os ancentrais do homo sapiens passaram a assar a carne de caça percebendo que a exposição ao calor a deixava mais macia.

Uma das formas mais primitivas do que conhecemos como churrasco era praticada por índios tupis sul-americanos que costumavam defumar a carne de caça sobre grelhas de madeira, no chamado moka’em. A carne defumada podia ser conservada por mais tempo.

O tradicional churrasco conquistou o país todo (imagem: divulgação)

O tradicional churrasco conquistou o país todo (imagem: divulgação)

O churrasco como se conhece hoje começou no pampa, com gaúchos que viviam na região de intensa criação de gado. Exigindo apenas uma estaca de madeira, uma faca afiada, fogo e sal grosso, a refeição tornou-se a opção ideal pela simplicidade.

Hoje o churrasco não está restrito às fronteiras do Rio Grande do Sul. O prato tornou-se nacional, com releituras que propõem diversas formas de preparo. Ainda assim, o churrasco feito no estado tem determinações claras no que se refere ao sucesso do prato. Por isso, selecionamos cinco dicas para auxiliá-lo no preparo. Confira:

1. Ao escolher a carne, verifique sua maciez com o dedo indicador sempre que possível. Se estiver muito dura, não serve para assar no fogo. Os cortes que vem embalados ao vácuo também são indicados, já que mantêm a carne fresca por mais tempo.

2. Para evitar desperdícios de carne, deve-se calcular cerca de 300 gramas de carne para mulheres e 500 gramas para homens.

3. O fogo é um ponto importante para definir o bom sabor da carne. Ele deve ser aceso com antecedência, para que o carvão libere a fumaça inicial que deixa gosto e aroma ruins no churrasco. A hora certa de colocar a carne é quando se formam as brasas e aparece uma camada de cinzas por cima delas.

4. A carne está no ponto quando, depois de virada pela primeira vez, começa a ficar levemente molhada do lado de cima.

5. Além de sal grosso, o “sal de parrilla”, um pouco mais fino, é uma excelente opção para temperar a carne.