Jurassic World – O Mundo dos dinossauros

por Graça Vignolo de Siqueira

Localizado na ilha Nublar, Jurassic Park finalmente foi reaberto ao público. As pessoas podem enfim, conferir shows acrobáticos com dinossauros e até mesmo fazer passeios bem perto deles, já que agora estão domesticados. Mas a equipe chefiada pela doutora Claire (Bryce Dallas Howard) passa a fazer experiências genéticas com esses seres, de forma a criar novas espécies. Uma delas adquire inteligência em alto grau, tornando-se uma grande ameaça para a existência humana.”

O filme, que fez sucesso em 1990 em obra original de Steven Spielberg, tinha essa continuação esperada com entusiasmo e apreensão. Afinal, pode ser feito algo melhor? O terceiro filme da franquia já não havia sido bom.

Mas para os fãs da franquia não vão se decepcionar. Já se passaram 20 anos e somos levados à Ilha de Isla Nublar. Fechado anteriormente pela série de problemas que aconteceram, reabre com a estrutura melhorada. Mais dinossauros, mais visitantes, mais brinquedos e emoção.

Mas, próprio do ser humano que nunca está contente com o que já possui, é criada uma nova espécie híbrida, para atrair mais público. A espécie é produzida em laboratório, com maior tamanho e mais ferocidade do que o T-Rex.

As imagens em 3D são surpreendentes. Foto: Divulgação (http://goo.gl/nWLYXc)

As imagens em 3D são surpreendentes. Foto: Divulgação (http://goo.gl/nWLYXc)

Assisti em 3D e gostei do que vi. As imagens são surpreendentes, as paisagens exuberantes, e o 3D funciona perfeitamente sem escurecer o visual. E mais uma vez somos levados a crer que tudo aquilo existe e é possível. Os efeitos digitais são fantásticos. Tal qual o primeiro, esse surpreende.

O guardião das galáxias, Owen (Chris Pratt), interpreta um treinador de velociraptores que vai bancar o herói em momentos decisivos. Seu desempenho em cena lembra muito o de Guardiões.

Assim como nas releituras de Planeta dos Macacos, Mad Max, Jurassic Park e até O Exterminador do Futuro, estamos em uma época ótima para o cinema. E com a evolução da tecnologia, incluindo o CGI, tudo é muito mais real.

Embora com muitos momentos violentos, ainda é um filme para todas as idades. Claro que crianças pequenas demais irão se assustar. Mas para atrair esse público o filme conta com dois irmãos que vão ao parque para se divertirem e acabam se aventurando.

Assisti na tela maior do Cineflix do Shopping Pelotas, levei sustos, mas saí extasiada. Imaginem se tivéssemos por aqui o IMAX. Vale a pena, é um filme para admirarmos a grandiosidade do cinema, no real sentido da palavra.

Ótimos efeitos, trilha sonora impecável e atores com bom desempenho. Por isso recomendo.