Surgem rumores sobre a nova geração do Moto E

Por Jean Carlo dos Santos

O Moto E, smartphone da Motorola lançado em maio, poderá receber uma atualização em seu hardware. Como os seus irmãos, Moto G e Moto X, a segunda geração do Moto E manterá o mesmo preço da geração anterior, mas com melhorias nas suas configurações.

Primeira geração do Moto E, Moto G e Moto X lado a lado. Foto: Reprodução  Andrew Cunningham (http://bit.ly/1yUNgf1)

Primeira geração do Moto E, Moto G e Moto X lado a lado.
Foto: Reprodução Andrew Cunningham (http://bit.ly/1yUNgf1)

Desenvolvido para os mercados emergentes, o Moto E tem como objetivo ser um aparelho com um custo-benefício que interesse o consumidor que ainda não possui um smartphone. Lançado no dia 13 de maio nos Estados Unidos e na Índia, o Moto E conseguiu deixar fora do ar o principal site de vendas da Índia devido à alta demanda.

Primeira geração (2014)

O aparelho, que conta com uma configuração que é suficiente para rodar o Android de forma fluída e por um preço justo, sempre teve como meta abocanhar o mercado dos feaures phones, os celulares de preço baixo. Para Charlie Tritschler, vice-presidente da Motorola, Moto E é o “celular para pessoas que querem um smartphone, mas não podem pagar”.

Leia também: Chega ao Brasil o Moto E, o novo aparelho da Motorola

Por isso, o aparelho conta com uma tela de 4,3 polegadas, com resolução de  960×540 pixels; um chipset Qualcomm Snapdragon 200, com poder de processamento de 1.2 GHz; 1 GB de memória RAM; uma câmera com 5 megapixels de resolução e uma bateria 1900 mAh.

O processador de baixo consumo, aliado à bateria e memória RAM, garante que  o Moto E funcione o dia inteiro sem travar, já que conta com uma versão pura do Android 4.4.3. Também é devido a essa configuração que o celular é vendido no Brasil por R$ 449,00.

Segunda geração (2015)

Segundo uma fonte da Grécia, a nova geração do aparelho contará com algumas melhorias no seu hardware. Uma delas é a presença de flash para a câmera traseira e uma tela maior, de 4,5 polegadas.

Possivelmente ele virá com o novo processador de baixo custo da Qualcomm, o Snapdragon 410, que conta com um processamento de 1,19 GHz. E diferente do seu antecessor, o novo Moto E virá com o Android Lollipop 5.0, a versão mais recente do sistema operacional da Google para Smartphones, instalado de fábrica.

Se os rumores se tornarem realidade, a nova geração do aparelho, apesar de receber uma atualização modesta, demonstra o interesse da Motorola em oferecer um produto de qualidade para os consumidores sem cobrar muito por isso. Entretanto, a Motorola ainda não fez nenhum anúncio oficial sobre o desenvolvimento do celular ou sobre seu lançamento.